Obras


_________________________________________________________

DRAMATURGIA



"Bilboquê"
Autora: Carmem Toledo
Giostri Editora
Ano de lançamento: 2016
Gênero: Dramaturgia


Esta é minha primeira obra publicada. O tema central é a corrupção humana, que se manifesta, muito comumente, sob as vestes da falsidade e da manipulação, da negação das próprias origens, da hipocrisia. Além de conter referências às obras de Jean-Jacques Rousseau, Dostoiévski e Aldous Huxley, "Bilboquê" é uma espécie de espelho da sociedade moderna. 

Sinopse: No final do século XIX, um homem insiste em ser tutor de uma única criança, em uma casa simples, afastada da cidade, acreditando que, assim, a educação poderia ser conduzida com maior sucesso. Um dia, a criança tem acesso a um jornal, onde vê as primeiras fotos da história – todas registradas na cidade, durante eventos sociais. O pequeno foge e se vê sozinho e com fome, em um local onde nunca esteve antes. É então que surge um mendigo com ideias que o menino nunca havia concebido. Depois, vem a dúvida: Haveria sido um sonho ou, de fato, alguém lhe ensinara coisas novas? “Bilboquê” é um texto teatral que explora as mentiras contadas em uma encenação – e na sociedade – para discutir temas ligados às relações humanas: a falsidade, a manipulação e as aparências que o ser social insiste em conservar. Uma das questões colocadas é um assunto já bastante trabalhado por vários filósofos: A criança é má por natureza ou aprende a ser má em sociedade?

Onde encontrá-lo:


Livraria Saraiva
Vários estados e loja online
https://www.saraiva.com.br/bilboque-col-dramaturgia-brasileira-9350899/p


Livraria Cultura
SP, RJ, PR, RS, DF, PE, BA, CE e loja online
https://www3.livrariacultura.com.br/bilboque-46288388/p
(11) 3170-4033


Livrarias Giostri Editora
SP, RJ e PR
http://www.giostrieditora.com.br/
(11) 2537-2763 / 2537-2764





____________________________



"Homens, sede humanos! - Rousseau e a Roda dos Enjeitados"
Autora: Carmem Toledo
Ano de criação: 2019
Primeira apresentação: 16 de maio de 2019, no Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, pelo Coletivo São Paulo de Literatura.
Gênero: Dramaturgia (peça curta)


A partir de trechos autobiográficos da obra de Jean-Jacques Rousseau, o texto conta a relação do filósofo suíço com a Roda dos Enjeitados (ou dos Expostos), um aparato de madeira e ferro em que bebês eram deixados por suas mães, que não podiam criá-los. O pensador - célebre por obras como "Emílio ou Da Educação", "Discurso sobre a Origem e os Fundamentos da Desigualdade entre os Homens" e "Do Contrato Social" - entregou seus cinco filhos à roda do Hôpital des Enfants-Trouvés, uma instituição religiosa francesa destinada a este fim, criada por Vincent de Paul (São Vicente de Paulo).

Este objeto também existia em vários outros países, inclusive no Brasil, onde ainda era usado em pleno século XX. A Santa Casa de Misericórdia de São Paulo mantém exposta em seu museu a roda que se encontrava em um de seus muros, assim como os livros em que estão registrados os dados das crianças que ali foram entregues. A instituição tem feito a restauração deste acervo e, para ajudar na arrecadação de fundos, o Coletivo São Paulo de Literatura idealizou o "Sarau Cai na Roda", um evento cultural movido a arte, poesia e música. O valor de entrada são R$ 10,00, totalmente destinados a tal intento. Inspirada nesse tema, a peça foi criada especialmente para ser apresentada pelo Coletivo.

Mais informações sobre as primeiras apresentações, com detalhes e curiosidades: https://culturofagicamente.blogspot.com/2019/05/primeiras-apresentacoes-de-homens-sede.html




____________________________


"As linhas de Dolores"
Autora: Carmem Toledo
Ano de criação: 2019
Primeira apresentação: 22 de junho de 2019, no Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, pelo Coletivo São Paulo de Literatura.
Gênero: Dramaturgia (peça curta)


Esta peça curta é uma homenagem à cantora Dolores Duran e foi escrita para ser encenada durante o Sarau Cai na Roda (em prol do Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo) e a premiação do concurso poético "Dolores Duran: Arte das palavras femininas", promovido pela Editora Matarazzo e pelo Coletivo São Paulo de Literatura em parceria com o Museu da Santa Casa. Também foi apresentada durante o evento "Versejando sem Fronteiras", da Editora Matarazzo em parceria com o Grupo Escritores sem Fronteiras, no Palácio Anchieta, com participação especial de Denise Duran, irmã de Dolores.











______________________________________________________________


PARTICIPAÇÕES EM COLETÂNEAS



"Paulistanos & Paulistanices"
Thais Matarazzo (org.)
Vários autores
Editora Matarazzo
Ano de lançamento: 2017
Gênero: Antologia

O livro reúne artigos que exploram memórias e curiosidades de São Paulo, contribuindo para a difusão da cultura e da história da "Terra da Garoa". Minha contribuição é sobre o bairro do Pari e sua diversidade cultural, com a crônica "Desembarcando no Pari". 

Onde encontrá-lo:
Editora Matarazzo (http://editoramatarazzo.com)







____________________________



"Vamos falar da Itália?"
Thais Matarazzo (org.)
Vários autores
Editora Matarazzo
Ano de lançamento: 2018
Gênero: Antologia

A coletânea "Vamos falar da Itália?" - organizada pela jornalista, editora, escritora e pesquisadora Thais Matarazzo - reúne textos que homenageiam a Itália, sua arte, seus costumes e tudo que "Il Bel Paese" oferece. São relatos de viagens, contos e crônicas emocionantes! 
Tive o prazer de participar desta bela obra com o conto "Luzes no céu de Pozzuoli", inspirado na infância da atriz Sophia Loren! Além do texto de minha autoria, contribuí com um desenho feito a lápis, em que retrato a diva em seus tempos áureos de cinema.
A belíssima ilustração de capa é de autoria da talentosa artista plástica Camila Giudice.


Onde encontrá-lo:
Editora Matarazzo (http://editoramatarazzo.com)




____________________________



"Versejando sem Fronteiras"
Thais Matarazzo; Hilda Milk (orgs.)
Vários autores
Editora Matarazzo em parceria com o Grupo Escritores sem Fronteiras
Ano de lançamento: 2019
Gênero: Antologia poética

O livro é resultado da parceria entre a Editora Matarazzo e o Grupo Escritores sem Fronteiras, que, em uma bela e corajosa iniciativa, lançaram este projeto para unir autores de vários locais, promovendo a cultura e o amor à poesia. 
Tive a honra de escrever o prefácio da obra ("Prelúdio"), além de ter dois poemas de minha autoria publicados: "Tatiana virou palavra" e "Testemunha". O primeiro, em homenagem à escritora Tatiana Belinky, foi agraciado com o 7º lugar no concurso poético Versejando com Imagens VI, promovido pela Editora Matarazzo. O segundo foi vencedor do concurso cultural "Roda dos Expostos em Versos", realizado pelo Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo em parceria com o Coletivo São Paulo de Literatura, para a 17ª Semana Nacional de Museus (IBRAM).



Onde encontrá-lo:
Editora Matarazzo (http://editoramatarazzo.com)



____________________________



"Roda dos Expostos em Versos"
Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo; IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus); Editora Matarazzo (orgs.)
Vários autores
Editora Matarazzo em parceria com o Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo
Ano de lançamento: 2019
Gênero: Antologia poética vinculada a concurso cultural
Disponível online

Meu poema "Testemunha" foi contemplado com o primeiro lugar no concurso cultural "Roda dos Expostos em Versos", promovido pelo Museu da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo para a 17ª Semana Nacional de Museus, realizada pelo IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus). 

Onde encontrá-lo:
Disponível para leitura online: https://issuu.com/thaismatarazzo6/docs/roda_dos_expostos_em_versos


















______________________________________________________________










Autoria:

"Culturofagia" (culturofagicamente.blogspot.com) é de autoria de Carmem Toledo. Está proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo aqui publicado, inclusive dos disponibilizados através de links aqui presentes. A mesma observação se estende a todos os blogs e páginas da autora ("Super Specialis", "O Caminhante Solitário", "Sophia... Ieri, Oggi, Domani") e toda e qualquer criação, seja em forma de texto ou ilustração, por ela assinada.

Culturofagia

O Caminhante Solitário

Sophia... Ieri, Oggi, Domani